É do Brasil!!

Brasil vence Japão e EUA na velocidade média da internet 4G, mas perde feio em cobertura



A empresa especializada em mapeamento de cobertura wireless OpenSignal divulgou um relatório completíssimo sobre a condição da internet 4G numa série de países do mundo. A boa notícia é que o Brasil, com sua média de 12 Mbps, ficou na frente de algumas potências, como Japão e Estados Unidos em termos de velocidade de download.

A explicação para a baixa velocidade de certos países desenvolvidos está no fato de que eles estavam entre os primeiros a criar suas redes LTE. Isso significa que a tecnologia utilizada é mais antiga. Como há cada vez mais gente utilizando-as, isso significa velocidades cada vez mais lentas para todo mundo.

   

Já em termos de cobertura, até pelo tamanho e a geografia do país, o Brasil acaba ficando consideravelmente pra trás, com 53% de cobertura média do território nacional. Nesse sentido, Japão (90%) e até o país continental dos EUA (81%) estão bem mais avançados.

A OpenSignal também divulgou informações independentes de cada uma das operadoras dos países pesquisados. No Brasil, a Nextel ganhou em cobertura (56%), mas perdeu feio na velocidade (3 Mbps). A melhor velocidade é da Vivo (15 Mbps), que possui 54% de cobertura. Logo atrás vêm Oi (13 Mbps, 45% de cobertura), Claro (12 Mbps, 53% de cobertura) e Tim (9 Mbps, 52% de cobertura).

Quem se deu melhor, logicamente, foram os países desenvolvidos com territórios menores e com infraestruturas mais novas. Os dois grandes exemplos disso são Cingapura e Coreia de Sul. Cingapura possui velocidade média de 37 Mbps, com cobertura de 83% do país. Já a Coreia possui 4G por quase todo o seu território (97%), com 27 Mbps de velocidade.


Fonte: Adrenaline

Avalie esta notícia

Internet 4G Brasil

Comente esta notícia:

Notícias relacionadas

São muitos zeros!

Tráfego de internet global superará a marca de 1 zettabyte em 2016

ver mais

Fadado ao fracasso

Yahoo é o primeiro império da internet que vai desmoronar na era digital

ver mais

O lado obscuro da internet

Indexaram parte da Deep Web e foi confirmado: quase tudo é ilegal por lá

ver mais